Dezembro e as crianças – 5 dicas.

Lavagem nasal
12 de junho de 2017

As festas de fim de ano estão chegando.

Dezembro é uma maratona de confraternizações.

E as crianças, inseridas na nossa cultura, aprendem, vivenciando cada celebração.

Se para nós é cansativo, imagina para os pequenos?

Mas podemos tornar essa tradição agradável e menos pesada para eles.

A regra geral é lembrar que eles não devem se comportar como “mini -adultos”.

São C-R-I-A-N-Ç-A-S !!!

  1. Não obrigue seu filho a ter contato físico com quem ele não quer.

Tudo o que nós, PAIS, falamos ou ensinamos aos nossos filhos tem um peso gigantesco na sua formação pessoal, agindo no consciente e inconsciente deles.

Quando você pressiona seu filho a abraçar, ou beijar alguém fora da zona de conforto dele, você, sem saber, está ensinando a ele que, não respeitar os próprios sentimentos, e que ir além, para cumprir uma obrigação social, é o esperado!

Notou o perigo nisso? Pense no futuro…

O abraçar e beijar deve ser espontâneo.

Explique isso aos parentes, e liberte seu filho.

2. Carregue objetos que deem suporte emocional para eles.

Deixe ele escolher o que levar!

Ter com ele, um brinquedo que conhece bem, copinhos que ele usa no dia-a-dia, a cobertinha favorita para quando bater o sono, um boneco do personagem querido, trazem a ele, o conforto de estar amparado por esses “companheiros” do cotidiano, em um ambiente novo e repleto de pessoas diferentes.

3. Evite rotulá-lo!

Ele não precisa de uma palavra para definí-lo para as pessoas.

Ele não deve ser o “pestinha”, a “quietinha”, a “inteligente”, ou o “gordinho”…

Costumamos utilizar os rótulos para crianças diante de situações em que NÓS estamos embaraçados. E isso é um erro.

Eles tem uma personalidade repleta de características que os tornam únicos!

Vamos evitar estigmatizá-los!

4. Tente manter a rotina.

As festas podem ir até mais tarde do que ele está acostumado a ficar acordado.

Os jantares podem sair além da hora habitual deles comerem.

Tente, ao máximo, manter os horários da rotina! Oferecer as refeições e colocar para fazer as sonecas nos horários de costume.

As crianças adoram e funcionam melhor quando há rotina!

5. Deixe-o ambientar-se aos poucos.

Seu filho entra no ambiente e logo se agarra na sua perna, esconde o rosto e pede seu colo. O que fazer?

Explique aos parentes que ele ainda esta se familiarizando com o local. Não o force a descer, não o arranque bruscamente do porto-seguro dele.

Dê a ele o tempo que precisar para começar a interagir!

Você , adulta, odiaria estar com vergonha de alguma situação social e alguém gritar: “ah ela é tímida mesmo! Que bobagem, fale com as pessoas!”, não é mesmo? O mesmo acontece com eles.

Fique com ele até ele começar a se soltar, explique a ele quem são as pessoas, mostre o ambiente, e espere o tempo dele.

Há muitas dicas pra que fique menos estressante pra ele todos esses eventos sociais.

Observando seu filho, respeitando o tempo e limite dele, ele podem se divertir muito e guardar lindas lembranças desses momentos de alegria em família.

O mais importante pra levar para as festas, é a própria libertação dos pais em saber que :

SEU FILHO NÃO PRECISA IMPRESSIONAR!!!

Boas festas! Cuidem-se!